Captação de alunos

6 melhores estratégias de marketing educacional para atrair alunos

Em um mercado competitivo como o da educação, é essencial contar com estratégias de marketing educacional para conseguir melhorar os resultados, atrair mais alunos e fidelizá-los de forma eficiente.

Nesse sentido, executar as ações de marketing educacional é fundamental. Você poderá entender, neste post, o que é possível fazer para falar a língua do seu público e conseguir mantê-lo na sua instituição por muito tempo.

Quer saber o que fazer? Veja agora. Boa leitura!

O que é marketing educacional?

As estratégias de marketing são utilizadas pelas organizações a fim de melhorar a forma com que suas marcas é vista no mercado, para conseguir mais clientes e fidelizá-los por mais tempo.

O marketing educacional ou escolar não é diferente disso. Trata-se de um conjunto de ações que visam atrair mais alunos para a instituição, pensando em formas para que a imagem da escola seja mais admirada pela comunidade, o que ajuda a aumentar as chances de fidelização.

Dessa maneira, a marca se torna mais valiosa e a instituição tende a ter resultados mais robustos. Veja agora quais são as melhores estratégias para atrair os alunos que você deseja.

Quais são as melhores estratégias?

Quem deseja melhores resultados precisa aplicar estratégias eficientes. Confira, agora, quais são as principais que você pode aplicar em sua instituição.

1. Criar uma persona

Você já percebeu que a ideia de público-alvo pode ser um pouco vaga? Pensar em homens ou mulheres entre 20 e 40 anos com ensino médio completo é um grupo grande demais. Imagine como é diverso o pensamento dessas pessoas.

Então, fica mais complicado pensar em estratégias para atrair esse público, já que as práticas e valores não são iguais. Por isso, é interessante pensar em outra forma de defini-lo: as personas.

Em vez de trabalhar com um público extenso, é possível definir de maneira mais precisa quem é a pessoa que você conversará nas principais campanhas da empresa. O perfil é chamado de semifictício, por trabalhar com pesquisas reais.

Com informações confiáveis, você pode definir, por exemplo, que falará nas campanhas com a Joana de 21 anos, formada no ensino médio, mas ainda sem uma vaga no mercado de trabalho. Por isso, ela deseja fazer cursos livres para ter o emprego que procura. Ela procura por escolas que consigam encaminhá-la ao mercado com o menor tempo possível. Gosta de ler e acompanha as redes sociais.

Entendeu como pode ser mais fácil pensar em estratégias quando se trabalha com uma persona bem definida? Pois é, esse é só o começo.

2. Segmentar o público

Muitas instituições fazem campanhas que não rendem o resultado desejado. Entretanto, nenhuma das ações é segmentada corretamente. Por exemplo, se a persona definida da Joana não vê televisão, você gastará muito dinheiro para exibir a marca da empresa, mas não terá o resultado esperado.

A segmentação busca pinçar os locais em que a persona provavelmente verá o que você está dizendo. Em uma campanha de marketing no Google ou Facebook Ads, você tem ferramentas suficientes para definir qual é o perfil das pessoas que verão cada anúncio.

Caso você faça a seleção incorreta, a tendência é que pessoas que não têm o interesse em fazer os cursos cliquem no anúncio e consumam parte do seu orçamento. Isso não é legal, não é mesmo?

Uma das maneiras de melhorar os resultados é usar as estratégias de marketing local. Com ela, você privilegiará as pessoas que estão mais próximas da sua escola.

3. Estar em múltiplos canais

Embora redes sociais como Facebook e Instagram sejam bem eficientes, uma campanha bem-sucedida considera todos os canais em que seu público atua (tanto online quanto offline).

Dessa forma, é possível criar campanhas complementares. Assim, o público terá uma noção mais profunda de quais são as metas da empresa e como ela pode ajudar a resolver os problemas, sonhos e medos.

Além disso, ao repetir a ideia, a empresa tem mais condições de fixar a mensagem na mente dos usuários. Uma das possibilidades é estar presente em canais como o WhatsApp, para manter o relacionamento com o consumidor mais próximo.

4. Marcar presença nas redes sociais

Nem é preciso dizer que é necessário estar nas redes sociais, não é mesmo? As instituições que desejam conquistar novos alunos precisam estar nos canais onde os estudantes estão.

Mas, além disso, é necessário profissionalizar as ações. As postagens devem ser realizadas sempre nos melhores horários (que são os momentos em que os usuários estão mais conectados), além de compreender qual é o melhor tipo de conteúdo para exibir (vídeo, imagem, texto etc.).

Por fim, padronize também a linguagem de comunicação que terá com as pessoas em mensagens privadas e comentários. Dessa forma, você terá a certeza de que todos os colaboradores passarão a imagem desejada em todas as comunicações efetuadas.

5. Investir em marketing de conteúdo

Como você viu, o conteúdo é uma forma importante para atingir os futuros alunos. Infelizmente, é comum encontrar instituições de ensino que fazem conteúdos apenas para divulgar a marca.

O novo tipo de consumidor quer, principalmente, resolver problemas que possuem. Então, as empresas que se empenham em dar as respostas que os usuários precisam recebem mais confiança das pessoas. Ou seja, em um segundo momento, será mais fácil torná-las alunos da instituição.

Dessa forma, em vez de simplesmente correr atrás dos alunos, eles poderão procurá-los com estratégias de inbound marketing.

6. Apostar no marketing de relacionamento

Conteúdo é bom, mas só traz resultados se for acompanhado de relacionamento. Quando o estudante estiver certo de que a empresa pode ajudar a tomar as decisões mais importantes, ele não desejará apenas se matricular em um curso, mas desenvolver uma parceria duradoura e de resultados.

Por isso, a instituição precisa desenvolver um plano de relacionamento com os usuários. O que fazer quando a escola receber uma crítica? É comum que os colaboradores entrem na defensiva querendo mostrar por que estavam certos naquela situação.

Mas o que aquele aluno (e toda a comunidade) quer é ver a demanda dele resolvida. Se isso acontecer, o relacionamento estará ainda mais forte. Caso contrário, a imagem da empresa pode ser danificada aos poucos.

É necessário, então, planejar para que toda comunicação da empresa seja pensada em termos de relacionamento, ajudando as pessoas a interagirem mais com a instituição e conseguir a confiança delas.

Agora que você sabe quais são as estratégias de marketing educacional que podem ajudar sua instituição de ensino a ter os melhores resultados, é hora de começar a se planejar para implementá-las. Como você viu, não é interessante fazer as ações de maneira amadora. Por isso, prepare-se bem!

Uma das formas para isso é entender quais são as melhores dicas de e-mail marketing. Veja agora quais são. Esperamos por você!

Posts Relacionados
Captação de alunos

7 dicas ideais de prospecção de alunos que vão além do marketing

Captação de alunos

Como fazer uma escola mais inclusiva? Veja 5 maneiras!

Captação de alunos

O que é e como montar um ponto de venda para franquias de educação?

Captação de alunosConversão de leadsGeração de ListasMarketingUncategorized

O que é inbound marketing, como aplicar e porque ele é tão importante para a sua escola.