NOSSO SITE ESTÁ DE CARA NOVA, SINTA-SE EM CASA. 

Público Alvo

Dificuldade de aprendizagem: saiba quais são os principais desafios

A dificuldade de aprendizagem envolve uma série de desordens que impedem que uma pessoa aprenda no mesmo ritmo de quem não apresenta o transtorno. Mas vale ressaltar que não se trata apenas de uma dificuldade pontual, relacionada ao aprendizado de um determinado tema. Isso, aliás, é bem comum e afeta a maioria das pessoas.

As desordens, por sua vez, interferem na capacidade do cérebro de receber as informações e processá-las. Quer saber mais sobre o assunto? Então, siga a leitura do post e descubra, também, quais são as dificuldades de aprendizagem mais comuns.

O que caracteriza a dificuldade de aprendizagem?

Há muito tempo se estuda o motivo de alunos aprenderem em um ritmo mais lento que outros. Foram cogitados traumas, causas educacionais ou socioeconômicas, mas nada se mostrou, individualmente, suficiente para definir essa razão.

Por outro lado, começou-se a observar um padrão de sintomas nesses alunos. Foram, então, identificadas dificuldades patológicas que inviabilizavam a absorção de conteúdo de forma completa e eficiente. Percebeu-se que algumas áreas do cérebro, responsáveis pelo recebimento e assimilação da informação, eram, por vezes, comprometidas por causas biológicas, causando a dificuldade de aprendizagem.

Porém, também se notou que, com empenho da família, da escola, de profissionais qualificados e com convívio social, essas patologias eram passíveis de tratamento. Assim, não impediriam, de forma alguma, a formação construtiva de competências e perícias.

Quais os tipos mais comuns de dificuldade de aprendizagem?

Conheça as características e sintomas dos tipos mais comuns de dificuldades de aprendizagem.

Dislexia

Trata-se de um transtorno de aprendizado de origem neurobiológica e que tem como principal característica a dificuldade para ler e escrever. Os alunos que apresentam esse distúrbio não reconhecem de maneira precisa e fluente as palavras, o que interfere na sua habilidade de decodificar e soletrar, também.

Entre os principais sintomas da dislexia estão:

  • atraso na habilidade de leitura ou comprometimento da fala;
  • problemas cognitivos, como dificuldade de memorização de regras ortográficas;
  • dispersão e falta de atenção.

Disgrafia

Esse distúrbio é caracterizado pela dificuldade na fluência da escrita em diversos aspectos. Ele, geralmente, está relacionado com problemas psicomotores.

Alguns sintomas da disgrafia são:

  • letras de tamanho variável, muito pequenas ou largas demais;
  • letras sobrepostas umas às outras;
  • uso incorreto de maiúsculas e minúsculas;
  • espaço variável entre as letras e alinhamento errado.

Discalculia

Refere-se à falta de habilidade para a execução de operações matemáticas, mesmo as mais simples. A pessoa afetada por essa desordem tem dificuldade para organizar, classificar e compreender os números.

Existem alguns tipos de discalculia e cada um apresenta sintomas específicos. Confira:

  • operacional: dificuldade para realizar operações matemáticas simples;
  • gráfica: dificuldade para escrever símbolos matemáticos;
  • léxica: dificuldade para ler e compreender números, símbolos matemáticos, expressões e equações;
  • verbal: dificuldade em compreender os conceitos matemáticos.

TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade)

Algumas pessoas nascem com essa desordem, enquanto outras desenvolvem o transtorno a partir de episódios específicos, como um estresse intenso.  O TDAH, que geralmente se manifesta na infância, está relacionado a uma série de problemas, como autoestima baixa, problemas em relacionamentos e dificuldades na escola.

Os sintomas mais comuns são:

  • dificuldades de concentração, esquecimento constante e falta de atenção;
  • sintomas de depressão e dificuldades de aprendizagem acentuadas;
  • ansiedade, raiva e excitação.

Como a escola pode ajudar?

O mais importante é que a escola possibilite a integração dos alunos com dificuldade de aprendizagem ao restante da comunidade escolar. Também é importante esclarecer, principalmente aos colegas de classe, que aquela criança apresenta uma desordem que faz com que seu aprendizado seja mais lento, mas que isso não significa que ela seja menos inteligente ou preguiçosa.

É fundamental que a escola tenha um quadro de professores capazes de trabalhar com esses alunos, estimulando suas potencialidades e propiciando a construção do aprendizado a seu tempo.

Enfim, alunos que apresentam qualquer dificuldade de aprendizagem precisam de um acompanhamento multidisciplinar em que a escola tem um papel importante. Com o tratamento adequado, eles poderão desenvolver de forma plena suas competências.

Quer saber mais sobre temas ligados à educação? Então, assine nossa newsletter.

Posts Relacionados
Comunicação da EscolaMercadoPúblico Alvo

Passo a passo para definir o público-alvo da sua empresa