NOSSO SITE ESTÁ DE CARA NOVA, SINTA-SE EM CASA. 

Inovação

5 metodologias de ensino inovadoras para você conhecer!

Quais são as metodologias de ensino inovadoras que você tem aplicado em sua instituição? Se a sua escola ainda não adota nenhuma delas, é hora de pensar sobre o assunto. Em um mercado competitivo, as escolas que param no tempo terão maior dificuldade para permanecerem ativas.

Neste post, você entenderá a importância da inovação no ensino e quais são as 5 metodologias que você precisa conhecer e melhorar a captação de alunos.

Importância da inovação no ensino

Da mesma forma que as instituições bancárias e os restaurantes precisaram se adaptar às novas necessidades de um mercado tecnológico e inovador, as metodologias de ensino também devem ser modificadas. O intuito é ajudar os alunos a conseguir as habilidades necessárias para estarem aptos ao mercado de trabalho.

Além disso, essas metodologias permitem aproximar os alunos dos ambientes em que já estão conectados, aumentando a adesão e facilitando a compreensão dos temas tratados.

Metodologias inovadoras de educação

1. Educação Maker

A educação Maker se destaca em um mundo em que é mais fácil descobrir como fazer as coisas que se deseja. O fácil acesso à Internet permite assistir a vídeos e tutoriais, compartilhando ideias e construir as coisas com maior facilidade.

Aproveitando isso, a educação Maker pretende incentivar os alunos a colocar a mão na massa, fazendo experimentos e chegando a conclusões sozinhos. A palavra maker, em inglês, significa “fazer” e leva bastante da cultura DIY (do it yourself, faça você mesmo, em português) para as instituições.

Em cursos livres, a instituição pode programar parte da carga horária para que os alunos façam experimentos, cheguem a conclusões e as discutam com o professor em sala de aula.

Para entender melhor o que é cultura Maker, dê uma olhada no nosso artigo especializado.

2. Ensino híbrido

Ensino híbrido é uma metodologia que mistura os ambientes online e offline, mesclando os momentos em que o aluno estudará de forma virtual e aqueles que acontecerão presencialmente. Dessa forma, tanto a interação com o professor quanto a busca por conhecimento e autonomia são incentivadas.

3. Design Thinking

Na educação, o Design Thinking significa que a criatividade e a simplicidade devem ser colocadas em prática para se chegar a variadas soluções possíveis para um mesmo problema. Vale ressaltar que o foco deve estar sempre nas pessoas, com uma comunicação eficaz.

Para utilizá-lo, vale a pena lançar mão de elementos visuais e desenhar as ideias com símbolos, cores, organogramas, títulos e outras formas visuais. Assim, o conteúdo dos cursos pode ser compreendido mais facilmente, aumentando a interatividade, a percepção e a criatividade dos alunos.

4. E-learning

O ensino virtual vem ganhando espaço no Brasil pela praticidade em se obter uma formação, aliada ao baixo custo e à oportunidade para aqueles que não têm tempo para se matricular em cursos regulares. É possível utilizar sistemas para cursos de graduação, pós-graduação e, até mesmo, cursos livres.

Além disso, pensar em fornecer módulos bônus a distância para os alunos pode aumentar a atratividade para o curso e melhorar habilidades fundamentais para os estudantes, como a busca de informações e a disciplina.

5. Gamificação

A gamificação é a estratégia que utiliza elementos encontrados nos jogos para atrair a atenção dos alunos. É possível utilizar jogos existentes para atingir determinados objetivos ou mesmo usar dinâmicas para fazer desafios e missões que possam alimentar a busca pelo aprendizado.

Além disso, pode-se dar prêmios e definir avatares para quem conseguir cumprir com os objetivos traçados. Também é possível criar cenários específicos para fazer com que os estudantes lidem com obstáculos que devem ser superados. Qualquer curso livre pode adotar a gamificação em sua gestão pedagógica, a partir do conhecimento do próprio público e do que os ronda.

Se você quer preparar seus alunos para o futuro, é importante adotar metodologias de ensino inovadoras. Assim, eles conseguirão se engajar mais e desenvolverão as habilidades que o mercado exige deles. Como consequência, a captação e a retenção de alunos serão facilitadas.

Posts Relacionados
Inovação

Quais são as profissões do futuro e como sua escola deve se preparar?

Inovação

Conheça o método MPI e como ele pode atrair mais alunos

Inovação

Educação 4.0: o que é esperado da educação do futuro?

Inovação

O que é cultura maker e como está associado ao aprendizado prático?